21 de março de 2019

Em protesto por Marielle pixaram o edifício da missão brasileira na União Europeia e entrevistamos o pixador

Por: Iuri Salles. Fotos: Mina de Deusu/Pixoação

 

No último dia 13 um pixador brasileiro mandou o papo reto nas paredes do edifício da missão brasileira na União Europeia, em Bruxelas, na Bélgica. O pixador largou a frase “Quem matou a Marielle foi o Estado brasileiro”.

O pixador responsabiliza diretamente o Estado brasileiro como responsável pelo assassinato da vereadora carioca Marielle Franco “Queremos uma resposta de onde partiu os tiros que tiraram a vida de Marielle Franco, mas não vamos tirar a responsabilidade do Estado que permite essas truculências não só com a Marielle mas tantos outros habitantes que sofrem e buscam pelos seus direitos não atendidos. ” explica o pixador.

Cumprindo à risca o papel do movimento pixo que é a arte de rua que representa o caos, a provocação, a agressão estética, o pixador levou um pouco do caos gerado pela sociedade brasileira até Bruxelas, “O Estado cria o caos e o Estado tem que pagar pelo caos. O ataque a Missão do Brasil na Europa faz a mensagem chegar de maneira eficaz por que de alguma forma tem repercussão. A Pixação tem o poder de causar o amor e o ódio”.

Questionado sobre o que moveu um jovem da periferia de São Paulo, arriscar ser detido fora do Brasil e ainda a possibilidade de dar adeus à novos trabalhos internacionais, caso ele rodasse nessa ação “Ela também denunciava os abusos da intervenção militar na segurança pública, relatando morte de jovens pela polícia.  Eu sou um dos que dão continuidade em sua luta, porque eu também sofro com a falta de estrutura do país, então, busco na pixação fazer protestos que provoquem o outro a refletir e até ser um militante contra a opressão, contra a guerra de classes”.

O autor da ação em Bruxelas ainda refletiu sobre como o Estado brasileiro proporciona todo esse estado de caos que hoje o país vive e qual o objetivo da pixação frente a isso “Alarmar, tentar ser ouvido, tentar transformar os preconceitos em conceitos reais que mudem a vida para melhor.  O Estado cria seus monstros com a irresponsabilidade dos seus governantes corruptos desse país. O Estado Brasileiro é o principal nome por esse caos que vivemos. Milhões de pessoas pedindo por socorro, Marielle foi contra o Estado que ao invés de ouvi-la tratou de tirar sua vida.

Ainda falando sobre como a luta da Marielle o impactou pessoalmente e o motivou em expor o Brasil internacionalmente “a luta de Marielle foi por todos nós. Marielle pode não estar em corpo presente mais a suas lutas e sua Voz pelos direitos a minoria (mulheres, negros, LGBTs)  ecoa em todos os cantos do país  e do mundo!”

Sobre os eventuais problemas que poderiam surgir e os perigos encontrados não foram suficientes para intimidar o ímpeto do pixador, “vamos ver o que vai acontecer, pixador corre esse risco, agora é torcer para que no aeroporto não aconteça nada, agora é tentar manter a tranquilidade e ver o que acontece, se der merda faz parte, importante que aconteceu a ação, estamos ai na atividade é nois”.

Essa é mais uma reportagem que faz parte da série desenvolvida pela Revista Vaidapé, “Pixo Com X”.

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!